Comunicado de Adiamento – Festa de 2 anos da Nova Primavera

Caros amigos e amigas, apoiadores e apoiadoras do MPM,

No dia 26/09/2014, sexta-feira, faleceu um acampado da Ocupação Nova Primavera.

Camarada a quem dedicávamos enorme apreço, e que estava conosco há muito tempo. A comunidade e o MPM lamentam profundamente o acontecido. Diante da tristeza que acomete a todos e em respeito aos familiares que permanecem conosco, decidimos ADIAR A FESTA de comemoração dos 2 anos de luta que seria realizada neste domingo (28/09).

A Festa, com o almoço e as atividades organizadas, ocorrerá no PRÓXIMO SÁBADO, dia 04/10/2014. Ficaremos muito felizes em receber todos os convidados neste dia, a partir das 13:00 horas. Ao longo desta semana, permaneceremos vendendo os convites a R$ 5,00 cada um, para financiamento do almoço.

Até lá!

Fá na Luta e Pé no Chão!

MPM – Movimento Popular por Moradia

Ocupação Nova Primavera

 

 

 

Anúncios

Reintegração de Posse revela conluio entre a Especulação Imobiliária, o Poder Judiciário e a Guarda Municipal de São José dos Pinhais.

Na madrugada de sexta-feira (19 de setembro) para sábado, cerca de 500 famílias organizadas pelo MPM, Movimento Popular por Moradia, ocuparam um terreno completamente abandonado há anos, próximo ao Supermercado Jacomar, em Colônia Rio Grande, São José dos Pinhais/PR. O terreno é de propriedade de NELSON MORO, e ao lado dele fica o pátio de obras da Prefeitura Municipal que também pertencera, num passado recente, ao mesmo proprietário. Às 6 horas da manhã a Ocupação já estava consolidada.

O Município de São José dos Pinhais vive hoje uma grave crise habitacional com despejos ilegais e remoções forçadas realizados de maneira pontual e extremamente danosa para as vítimas. Algumas famílias que hoje estão acampadas em frente ao Fórum da cidade expressam essa situação.

A ocupação foi organizada conforme as regras do Movimento que proíbe loteamento e corte de mata. Por volta das 15 horas do sábado (dia 20), um sujeito que se identificou como “Alves” e membro da Guarda Municipal, apareceu para pedir informações. Apesar de se identificar como “Guarda”, estava à paisana, e provavelmente a serviço do proprietário do terreno Nelson Moro.

IMG_2815Cerca de meia hora mais tarde duas viaturas da Guarda Municipal e um caminhão da Prefeitura chegaram no terreno e estacionaram seus veículos em frente ao terreno ocupado, com o caminhão da Prefeitura bloqueando a entrada.

O Chefe de Operações da Guarda, identificado como “Barreto”, se apresentou ao Movimento, e, autorizado pela Coordenação, caminhou entre os moradores acompanhado das lideranças. O MPM buscou conversar com Barreto afirmando sua disposição em negociar com o proprietário uma solução para as famílias necessitadas e não se apropriar indevidamente do terreno. A intenção era cobrar uma posição do Prefeito, Sr. Luiz Carlos Setim (DEM).

Barreto informou, perante todos os moradores, que tinha a intenção de chegar a uma “solução comum e negociada” com as famílias e pediu um tempo para que pudesse obter uma resposta da parte da Prefeitura e do proprietário. Barreto se comprometeu a retornar às 18 horas para conversar e solicitou que o Movimento respeitasse as duas viaturas da Guarda Municipal que permaneceriam às portas da ocupação enquanto ele não retornasse.IMG_2804

O horário acordado já havia passado e os moradores decidiram ir conversar com a polícia sobre o porquê da demora do policial Barreto. Os policiais pediram um tempo, porque, supostamente, Barreto estaria “atrasado”, embora já fosse 18:30.

Enquanto isso foram chegando outras viaturas e até mesmo tropas de choque, com armas e capacetes, aparentemente prontos para um confronto físico. Percebendo a traição do acordo por parte de Barreto e da Guarda Municipal, os militantes do MPM acionaram contatos de apoiadores e órgãos da imprensa.

Cerca das 19 horas, chegou uma Oficial de Justiça, acompanhada de capangas do proprietário Nelson Mouro, com a intenção de cumprir um mandado de reintegração. Foi destacada pelo MPM a ilegalidade do procedimento, caso fossem adiante, tendo em vista o horário superior às 18 horas. Sob o argumento da ilegalidade, eles solicitaram que a Dra. Sylvia Malatesta, advogada do Movimento, assinasse a Liminar de Reintegração de Posse, garantindo que esta seria cumprida apenas às 8 horas da manhã de hoje. Os moradores acampados, pacificamente, embora indignados, se retiraram do terreno, diante da Liminar deferida e da força policial destacada.

IMG_2821

Sob os falsos argumentos de que o terreno era “produtivo” e que as famílias entraram “armadas” no local, ameaçando os vizinhos, a Juíza Dra. Marcia Hübler Mosko concedeu a liminar de reintegração do terreno sem tomar conhecimento das condições das famílias que lá estavam.

Por que o Guarda Barreto nunca mais apareceu? Por que ele disse que iria buscar uma resposta da prefeitura, quando na verdade ele foi buscar uma assinatura da Juíza? Por que a Dra Márcia Hübler Mosko alegou em sua decisão que os moradores estavam armados e o terreno era produtivo, uma deslavada mentira? Por que o pátio de obras da Secretaria Municipal de Obras de São José dos Pinhais foi cedido por Nelson Moro? Por que moradores da região, quando perguntados se o terreno era realmente de Nelson Moro afirmaram “Nelson Moro é dono de São José dos Pinhais”? Essas e outras dúvidas permanecem em aberto.

A total falta de confiabilidade da Guarda Municipal de São José dos Pinhais, sob o comando de Barreto, atuando como verdadeira “segurança privada” dos especuladores da região, tal como o Sr. Nelson Mouro, a prontidão do Judiciário em assinar uma liminar sem ouvir o movimento, além do descaso da Prefeitura municipal, demonstram o conluio entre os poderes locais e o capital imobiliário que domina a configuração urbana da cidade com habitantes e campeã de vazios urbanos da região metropolitana de Curitiba.

Além de proprietário de muitos dos vazios urbanos de São José dos Pinhais, NELSON MORO é também dono da Construtora Moro e do edifício de luxo Suite Vollard, o famoso “prédio giratório” do Ecoville, também completamente abandonado.

A nossa luta é todo dia!

MPM – Movimento Popular por Moradia

6

MPM OCUPA TERRENO VAZIO EM SÃO JOSÉ DOS PINHAIS

Cerca de 500 famílias de trabalhadores sem-teto organizados pelo MPM – Movimento Popular por Moradia, integrante da Frente Nacional de Movimentos Resistência Urbana – ocuparam na madrugada desta sexta-feira (19) uma área abandonada de 100.000 m² em São José dos Pinhais/PR.

IMG_2782

O terreno, segundo informações, pertence à Prefeitura Municipal e se encontra desocupado há anos, completamente vazio, em claro descumprimento à sua função social.

São José dos Pinhais tem se destacado pelo enorme crescimento populacional ocorrido nos últimos anos. É o município mais populoso, com quase 300 mil habitantes, e o que mais cresce da Região Metropolitana de Curitiba. A enorme quantidade de terrenos desocupados (vazios urbanos) se alia à especulação imobiliária no município. Nesse contexto, o problema de moradia se agrava.

IMG_2788

A falta de moradia digna e o peso dos aluguéis sobre a renda familiar são problemas cotidianos para os milhares de habitantes de São José dos Pinhais, e atingem, especialmente, a parcela mais pobre da população. É o que ocorre com cerca de 8 mil famílias atualmente ameaçadas de despejo no município por não conseguirem honrar as parcelas de valores abusivos cobrados por imobiliárias sobre os terrenos onde moram há décadas.

IMG_2801

Para a Coordenação do MPM, o imóvel ocupado cumprirá sua função social se abrigar famílias que viviam em áreas de risco, moradias precárias e sem condições de pagar os aluguéis, aguardando há muito tempo uma resposta do Poder Público para o déficit habitacional de São José e região.

O objetivo do MPM é negociar e garantir a destinação do terreno ocupado para Habitação Popular de interesse social, com a construção de moradias para as famílias necessitadas. Essas famílias irão permanecer acampadas no local até que consigam negociar uma solução, atendendo ao seu direito constitucional e democrático à moradia digna.

IMG_2802

Fé na luta e pé no chão!

Endereço: Francisco Dal Negro, 2920, continuação da Rua Tenente Djalma Dutra, Bom Jesus, São José dos Pinhais/PR.

Ocupação Nova Independência

MPM – Movimento Popular por Moradia

Frente Nacional de Resistência Urbana

Contatos:

Fernando 41 9911 9274

Sylvia 41 9911 3785

Chrysantho 41 9815 8685

Festa de Aniversário da Nova Primavera!

 

2anosNPrim

Na manhã de 28 de setembro de 2012 nascia a Ocupação Nova Primavera! Já são 2 anos de lutas e conquistas!

Centenas de barracos de lona representavam a fé e a coragem desse povo, que, cansado de pagar aluguéis caríssimos e morar em condições precárias e indignas, somaram esforços à luta do MPM por moradia digna.

O terreno vazio localizado na CIC, bem ao lado das Moradias Corbélia, hoje está habitado e com vida comunitária. Lá se ergue essa comunidade que há dois anos não desiste e não abandona o sonho de conseguir a casa própria e realizar o direito à moradia digna. Pretendemos concretizar esse objetivo por meio do primeiro projeto de habitação popular na área pelo Programa Minha Casa, Minha Vida Entidades em Curitiba.

Essa luta vale a pena ser acompanhada e apoiada! Por isso convidamos todos para compartilhar essa história de resistência da Ocupação Nova Primavera, que será comemorada na nossa Festa de Aniversário de 2 anos!

Teremos um delicioso RISOTO para todos os moradores e apoiadores que estiverem presentes nodia 28/09/2014, com início às 13:00 horas, no barracão da Nova Primavera! Além do almoço, a Coordenação organizará a exibição de vídeos da ocupação e várias outras atividades.

Para viabilizar o evento, pedimos que cada convidado e apoiador contribua com R$ 5,00 (cinco reais), comprando o convite ao longo da semana ou no próprio dia da festa. Estará à venda com os Coordenadores!

Quem não puder ir no dia, mas quiser contribuir, também vale!

O que?         Festa de Aniversário de 2 anos da Ocupação Nova Primavera!

Quando?      Dia 28 de setembro de 2014, às 13:00 horas

Onde?          Nova Primavera (Estrada Velha do Barigui, 300 – Em frente à fábrica da Toshiba)

 Contribuição para o almoço: R$ 5,00. Convites à venda por e-mail (movimentopopularpormoradia@gmail.com) ou com um dos Coordenadores. Também teremos convites no dia da festa!

MPM propõe metas para os candidatos ao Governo do Estado do Paraná.

O MPM – Movimento Popular por Moradia, integrante da Frente Nacional de Resistência Urbana, define 5 metas que deverão ser encaminhadas aos candidatos ao Governo do Paraná para o período de 2015-2018.

 

Meta 1 – Investir em estudos, projetos e obras para construção de 100.000 novas unidades habitacionais para famílias com renda até R$ 1.600,00 (faixa 1) em todo o Estado;

 

Meta 2 – Fortalecer a modalidade “Entidades” do Programa Minha Casa Minha Vida no Paraná, aumentado os recursos estaduais destinados ao programa e qualificando a parceria com entidades sociais. Propomos aumento do aporte da COHAPAR para R$10 mil por unidade do MCMV-E e o objetivo de construir 10% da meta 1 por meio do MCMV-Entidades, totalizando 10 mil unidades.

 

Meta 3 – Combate aos despejos forçados e conflitos fundiários, com secretária específica na Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SEDU);

 

Meta 4 – Desenvolver amplo programa de regularização fundiária em assentamentos e urbanizações irregulares, em conjunto com movimento por moradia e associações de moradores;

 

Meta 5 – Instituir o Banco de Terras do Estado do Paraná, composto por áreas adquiridas, mediante permutas, transferências, compras e desapropriações de terras provenientes de grilagem ou outras irregularidades para serem destinadas para habitação popular.

 

Aprovado em Assembléia,

Curitiba, setembro de 2014.